Após prorrogação há um ano e meio, totalizando vigência de seis anos e meio, o financiamento CNPq e FAPESP da nossa rede INCT NAMITEC estava previsto para terminar em setembro deste ano. Há exatamente um ano, submetemos um novo projeto dentro do edital do CNPq para a continuidade da rede. Infelizmente, o resultado deste edital ainda não está disponível e, recentemente, o CNPq induziu-nos a solicitar nova prorrogação até julho de 2016. Tivemos nossa solicitação de prorrogação atendida pelo CNPq – porém sem garantia de recursos necessários para a operação da rede neste período. Sem este recurso adicional, não fará sentido a prorrogação, dado que o recurso atual já foi completamente utilizado. Em todo caso, cabe uma reflexão sobre o projeto neste momento de conclusão ou prorrogação efetivo com recurso adicional.

Ao longo da vigência do projeto, que congrega 124 pesquisadores em 23 instituições nas várias regiões do país, podemos concluir que foi muito positivo para todos. Notamos uma boa interação entre os diversos grupos de pesquisa e o fortalecimento de laboratórios, disseminando atividades de microeletrônica também nas regiões menos favorecidas do país. A colaboração entre os grupos também contribuiu com o aumento da eficiência do sistema de produção científica e de formação de recursos humanos, dado que os grupos ganham acesso a conhecimentos e instalações não disponíveis na sua própria instituição.

Os nossos indicadores de produtividade confirmam o alcance das metas estabelecidas na proposta original do projeto: publicamos 620 artigos em revistas indexadas (90% internacionais), 1.112 artigos completos em anais de conferências relevantes (ao menos 60% internacionais) e 20 patentes requeridas. Além disso, concluímos a orientação de 123 teses de doutorado, 305 dissertações de mestrado e aproximadamente 300 alunos de iniciação científica. Vários dos trabalhos e alunos formados foram premiados como melhores trabalhos em conferências (internacionais e nacionais) e melhores teses de microeletrônica no país.

Os membros do NAMITEC contribuem anualmente na organização de vários congressos, workshops, minicursos e outros eventos científicos e de divulgação.  Podemos dizer que os congressos SBCCI e SBMicro são os dois mais importantes da área no país, organizados anualmente em paralelo num mesmo local. Este a ano, o local escolhido foi Salvador – sob guarda chuva do nome-fantasia “Chip in Bahia”. Observamos que mais de 50% dos trabalhos apresentados tinham como autores membros do NAMITEC e dois artigos foram premiados como melhores (terceiros lugares no SBCCI).

O NAMITEC cobre espectro amplo de atividades de pesquisa e desenvolvimento de microeletrônica: materiais, processos de fabricação, dispositivos, projeto de circuitos integrados, programas de projeto automático por computador e aplicações como redes de sensores sem fio e IoT. A transferência de conhecimento para a sociedade e para o setor empresarial também faz parte do escopo da rede. As iniciativas industriais e centros de projeto do programa CI Brasil, surgidos ao longo dos últimos 10 anos, são diretamente beneficiados pelo conhecimento e pelos recursos humanos gerados com auxílio do NAMITEC.

Esta retrospectiva mostra a importância da continuidade do programa INCT – e que a demora na divulgação dos resultados do novo edital e/ou uma prorrogação sem recursos necessários podem desmontar a rede NAMITEC.

Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer – CTI
Rod. D. Pedro I (SP-65) Km 143, 6, Amarais | CEP. 13069-901 | Campinas – SP | (19) 3746-6188
Financiado com recursos CNPq Proc 573738/2008-4 e FAPESP proc 08/57862-6

 

CAPES CNPq Fapesp INCT CTI Renato Archer MCTI  marcadogovernofederal-2015